sábado, 1 de março de 2014

Racismo e Preconceito

O "sistema de cotas" implantado em nosso país não diminuirá a discriminação racial e social, que há anos está nas entranhas da sociedade, e na prática comum de autoridades despreparadas para o exercício de suas funções. Existem centenas de presos inocentes, cumprindo prisão provisória, simplesmente porque não tem um advogado de plantão para ser chamado, antes do depoimento na delegacia. Os pilantras verdadeiros, já andam com o telefone do advogado e raramente ficam presos, pois para isso existe fiança, (PARA DEIXAR O RICO FORA DA CADEIA). Campanhas educativas, treinamentos de policiais e autoridades em geral, funcionaria melhor que obrigar as escolas a ensinar cultura "NEGRA". Isso já é uma discriminação, pois não ha norma para o ensino da cultura "BRANCA".
O episódio ocorrido em 10 de fevereiro último, no Rio de Janeiro, onde parece existir respeito pela diversidade, nos mostra erros e irresponsabilidade das autoridades de plantão. O cidadão Vinicius Romão de Souza, ator, vendedor, psicólogo, trabalhador, com endereço residencial fixo, foi preso, simplesmente por ser NEGRO, pois se fosse BRANCO e tivesse olhos azuis, jamais o policial civil Waldemiro Antunes de Freitas Junior, o levaria até a delegacia, pois as informações fornecidas pela vitima não coincidiam em nada com as caracteristicas do Vinicius. A única coincidência aparente, cor da pele.
Ao chegar a delegacia (11ª) havia outro despreparado de plantão, delegado William Lourenço Bezerra, que registrou o "flagrante". Mas que flagrante, não havia nenhum a ser lavrado. Irresponsabilidade total. Esse delegado deveria ser afastado de suas funções imediatamente, pois foi apanhado praticando atos fora da lei,  assinou indevidamente a prisão de um inocente, sem observar os cuidados básicos que deveria ter ao registrar um flagrante. Dia 25, o juiz Rudi Baldi, decidiu pela liberdade provisória de Vinícius. Deveria prender o delegado em seu lugar. Se esse rapaz não fosse ator, psicólogo, conhecido do público, ficaria mais dias na cadeia e só sairia quando precisassem de vagas nas celas. Assim vivem centenas de pessoas encarceradas e ninguém faz nada. Enquanto isso, delinquentes comprovados, são liberados várias vezes das delegacias. Alguns tem ficha com metros, mas são brancos, ricos, filhos de alguém importante ou menores de idade. Assim Vivemos, em um país civilizado, com muitas leis, uma democracia plena, onde o cidadão humilde está cada dia mais longe de seus direitos e mais próximo de suas obrigações.

Jocicler Vieira, é aprendiz de cidadão. Cearense nato, admirador do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário