sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Pirataria é Crime!



Bomba! Polícia desmonta central de Cardsharing SKS IKS em Mogi Guaçu-SP e esta a procura dos clientes desta central


Notícia bombástica para o mundo dos receptores de tv por assinatura, a Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado e a Polícia Civil de Mogi Guaçu, cidade do interior de São Paulo, realizaram uma operação de busca e apreensão no bairro Parque dos Eucaliptos onde desmontaram uma central de cardsharing que possivelmente também servia SKS e apreenderam Walmir Costa, de 43 anos, que disse ser o único dono da central de cardsharing.
Na casa foi encontrado um aparato para a captação das chaves de acesso condicional de diversas operadoras de tv por assinatura, as chamadas keys dos canais.
Diversas antenas parabólicas offset estavam instaladas de maneira discreta, no chão, apontadas para os principais satélites que retransmitem Sky, Claro TV, Vivo TV e Oi TV.
A aparelhagem da Central de Cardsharing SKS do Sr. Walmir Costa contava com dezenas de receptores de satélite ligados em série, além de computadores e roteadores de última geração.
O sinal que servia aos sistemas de cardsharing e possívelmente ao SKS e IKS de algumas marcas de receptores de satélite, era primeiro roteado para uma rede de computadores no Canadá e então redirecionado para os clientes da central de tv pirata no Brasil, numa tentativa de despistar os investigadores brasileiros que combatem a tv por assinatura.
Não deu certo, a investigação foi conduzida pelas próprias operadoras de tv por assinatura através da Aliança de Combate à Pirataria da TV por Assinatura, que ofereceu denúncia ao Ministério Público de São Paulo, o que culminou no desmanche da central de cardsharing pela Polícia de SP.
A apreensão e prisão do suspeito ocorreu ontem, dia 13 de agosto de 2014.
Walmir Costa tinha em casa diversos receptores Azbox Bravíssimo que revendia para todo o Brasil, segundo os policiais por valores médios de R$ 1 mil.
Em dinheiro vivo haviam R$ 14 mil que também foram apreendidos.
A polícia não revelou o método de trabalho de Walmir Costa sobre como ele cobrava os seus clientes e nem se é possível identificar os clientes da central de cardsharing através de registros guardados por Walmir Costa.
No entanto o delegado disse que o próximo passo da investigação é identificar os clientes que utilizavam esta central de tv pirata e que deverá inicialmente processar estas pessoas por receptação de produtos contrabandeados e analisará outros crimes cometidos por estes clientes posteriormente.

Extraído de: www.gps.pezquiza.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário